NOTÍCIAS

Evangélica é expulsa do país por participar de cultos domésticos
Postada em: Quarta, 24 de Maio de 2017 às 14h39 | Categoria: Mundo - Posts 182
No início de abril, uma mulher protestante foi deportada para a Rússia sem decisão judicial. O motivo? Ela participava de uma reunião cristã em um apartamento na capital do Uzbequistão, Tashkent. A polícia invadiu a reunião, apreendeu livros cristãos e Bíblias. Isso provavelmente aconteceu devido a informações de um informante. A dona da casa foi multada.
 
Os oficiais de polícia e os oficiais da alfândega apreendem com frequência livros cristãos, afirmando que eles são "ilegais". No dia 24 de março, sete funcionários, incluindo três policiais uniformizados, invadiram a casa de Yelena Potorochina, uma protestante no distrito de Yakkasaray, em Tashkent.
 
No apartamento, cinco mulheres evangélicas estavam se reunindo para discutir a fé cristã, liderada por uma cidadã russa Tatyana Bezhenova. O filho de Yelena também estava no apartamento durante o ataque.
 
Os funcionários incluíram o chefe da polícia antiterrorismo do distrito de Yakkasaray, Azamat Nabirayev, e o major da polícia do distrito de Yakkasary, Ramiz Fozilov, com os inspetores de polícia Toirzhon Pakhruddinov e Zhamoliddin Karshibayev. Eles procuraram a casa de Yelena e confiscaram quatro livros cristãos, incluindo dois novos testamentos, 12 cadernos com notas pessoais escritas pelas participantes, um computador portátil, um disco rígido de computador de mesa e uma câmera digital. Qualquer literatura impressa ou eletrônica encontrada é confiscada e aqueles que possuem os textos são punidos.
 
Os oficiais também confiscaram o passaporte russo de Bezhenova. No dia 30 de março, a mulher russa prestou queixas na Administração Presidencial e no Ministério Público do Distrito de Yakkasaray.
 
O inspetor da polícia do distrito de Yakkasaray, Karshibayev, não quis discutir o caso e encaminhou o inquérito ao chefe de polícia antiterrorismo do distrito, Nabirayev. Quando perguntado por que a polícia invadiu a casa de Yelena e confiscou propriedades particulares, ele alegou que eles devolveram tudo para a mulher.
 
No dia 3 de abril, o juiz Timur Kasymov, do Tribunal Penal do Distrito de Yakkasaray declarou que Yelena era culpada por violar o Artigo 240 do Código Administrativo: Realização de atividades religiosas não autorizadas, evasão de líderes de organizações religiosas, organização não autorizada e conduta de culto por parte de ministros religiosos, bem como a organização e realização de reuniões especiais para crianças e jovens, bem como a formação profissional, literatura e outros grupos de estudo não relacionados com o culto.
 
No dia 4 de abril, as autoridades deportaram Bezhenova de volta à Rússia, mas sem uma ordem judicial legalmente exigida. Ela também recebeu seu passaporte naquele dia.
 
Fonte: guiame
 

 Deixe seu comentário:

 

 LEIA TAMBÉM

SertãoGospel
   
Loading
 
 
       
SertaoGospel - Menu
     

Lista de Categorias

Lista de Seções

   

SEÇÕES ESPECIAIS

Artigos
Contato
Destaque
Eventos
Nordeste
Notícias Seculares
Notícias Rotativas
Notícias Gerais
Vídeos
Artigo
Bíblia
Catolicismo
Cinema
Cultura
Destaque
Educação
Esporte
Igreja
Justiça
Finanças
Livramento
Missões
Mundo
Música
Acidente
Brasil
Obituário
Policial
Política
Saúde
Social
Televisão
Violência
Moda
Tecnologia
Alagoas
Bahia
Ceará
Maranhão
Paraíba
Pernambuco
Piauí
Rio Grande do Norte
Sergipe
Marcos Pereira
Consciência Cristã
Seca no Nordeste
Filme Anti-Islã
Cabo Bruno

SertãoGospel.net© 2008-2011- Todos Diretos Reservados®

Activa Soluções